Agenda

julho 2015
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Reunião do Clero e Liderança Leiga da DAR

Encontro do clero

IMG-20150725-WA0008

No sábado, 25 de julho, na Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, foi realizada mais uma reunião do Clero e da liderança leiga da Diocese Anglicana do Recife (DAR-IEAB). O encontro, que contou com a presença de representantes das diversas comunidades sob a liderança do bispo diocesano, Dom João Peixoto, é um momento importante para fortalecimento da convivência fraterna e oportunidade para tratar de temas de interesse da diocese. A “Missão como Reconciliação” foi o assunto debatido, dando continuidade ao que tema que tem orientado as reuniões da DAR desde abril deste ano. A próxima reunião, em preparação ao XXXI Concílio Diocesano, que será de 15 a 18 de outubro próximo, já está marcada para o dia 19 de setembro. Durante a reunião, também foi definido que o nosso Concílio Diocesano acontecerá na Cidade de Caruaru.

Mensagem do Primaz sobre a Semana de Combate ao tráfico de pessoas

Irmãos e Irmãs,

“Nenhum corpo humano pode ser, em qualquer circunstância, objeto de escravidão”

Arcebispo Justin Welby

Nesta semana é celebrado internacionalmente a Campanha contra o Tráfico de Pessoas. Esta é uma tragédia humana que somente nos últimos anos tem sido percebida por governos e entidades não governamentais. Em nosso país, constantes denúncias tem se avolumado à partir de organismos de direitos humanos e entre diversas categorias que caracterizam o tráfico de seres humanos, se encontram o trabalho escravo, o tráfico de órgãos e a exploração sexual de meninas e meninos, bem como a adoção ilegal de crianças. O tráfico não tem fronteiras e é cometido tanto dentro do Brasil como para o exterior. Segundo estatísticas levantadas por diversos organismos internacionais, o Brasil está em décimo lugar no mundo em termos de ocorrências constatadas, isso sem falar nos casos que permanecem não identificados.

A consciência da sociedade brasileira precisa aumentar sobre este silencioso e obscuro problema, que movimenta pelo menos 30 bilhões de dólares no mundo, enriquecendo verdadeiras máfias internacionais e nacionais. São pessoas, no caso de adultos e de crianças, que são atraídas para um mundo de sonhos que se transformam em pesadelos. A exploração econômica e social as submete a condições de vida indigna e muitas vezes fatal.

Primaz

A Igreja reafirma seu compromisso com a dignidade humana e se coloca enfaticamente contra esse processo criminoso. Todo ser humano é criado à imagem e semelhança de Deus e portador de uma dignidade ontológica que não deve ser violada. Nenhuma pessoa pode ser obrigada a abrir mão de sua capacidade de escolha de trabalho, sua liberdade e sua mobilidade. A ninguém deve ser imposto a privação de sua liberdade e nem ser usado como mercadoria a troco de interesses econômicos escusos. Não importa a idade, condição social nem gênero.

A Organização das Nações Unidas promove esta semana um conjunto de atividades no mundo inteiro, numa Campanha denominada Coração Azul, na qual esclarecimentos sobre o problema acontecerão com o apoio de organismos governamentais, Igrejas e organizações sociais. No Brasil estão previstas diversas ações em praticamente todos os estados.

Nossa Igreja Anglicana, através do Arcebispo de Cantuária, subscreveu juntamente com outras 11 religiões um pacto pela eliminação do tráfico de pessoas para trabalho escravo em dezembro do ano passado. Em várias Províncias da Comunhão, ações de capacitação estão se realizando e nossa Província do Brasil precisa se envolver concretamente com o tema.

Conclamo nossa Província a se engajar com o tema. Que as dioceses e paróquias reservem um tempo para se reunir e discutir o tema e que se ofereçam orações pelas vítimas e por suas famílias. Estas ações podem ser feitas em conjunto com outras Igrejas e com organismos de defesa dos direitos humanos. Se não houver localmente uma rede de entidades que estejam realizando atividades nesta semana, façam internamente  nas paróquias.

Que Deus nos inspire a considerar este tempo como ocasião para nos apropriarmos do tema e para conscientizar nossas comunidades na direção da defesa das vítimas, na prevenção deste crime e na palavra profética onde quer que estejamos.

Que Deus abençoe a tod@s

++ Francisco, Primaz do Brasil

Caminhada da Diaconia na IEAB

SADD
Comissão Nacional de Diaconia (CND): Reverendo Arthur Cavalcante (Secretário Geral da IEAB), Sra.Mara Luz, Deã Marinez Bassotto, Profa. Ilcélia Soares e Sra. Sandra Andrade (SADD)
 

A IEAB tem, na diaconia, uma das suas maiores forças. Ela é pensada e posta em prática de norte a sul do Brasil, tem acompanhado as mudanças de conjuntura do nosso país e tem como alimento as Marcas da Missão. Alguns marcos importantes da nossa trajetória foram:

  • 1988: Primeira Comissão Nacional de Apoio às Instituições, no momento importante da Década da Evangelização, da Confelíder e de discussões sobre encontro das instituições educacionais. Primera vez que há referência à criação de um departamento de diaconia.
  • 1990: Encontro nacional recomenda a dinamização da presença efetiva dentro das instituições e o trabalho conjunto com outras igrejas e organismos ecumênicos sobre o Estatuto da Criança e o Adolescente.
  • 1995: Encontro das Instituições Sociais que é separado das Instituições Educacionais recomenda rever e fortalecer a ação social.
  • 1998: Encontro Provincial propõe encontros diocesanos para: buscar pastorais alternativas, maior participação das lideranças leigas, consciência pedagógica e maior rigor na elaboração dos projetos sociais, romper dependência e paternalismo com recursos do exterior, criação de secretarias diocesanas de ação social.
  • 2002: Confelíder Missão e Espiritualidade aprofundou a partilha das experiências diaconais entre a IEAB e com os convidados ecumênicos e subsidiou o Sínodo de 2003.
  • 2003: Encontro de Pastorais Sociais em Capão do Leão/DAP: intercâmbio dos processos em curso e capacitação com a Diocese Anglicana do Uruguai, compromisso de partilhar os resultados com as dioceses, aprofundar subsídios teológicos, metodológicos e filosóficos para aprimoramento da diaconia, dar continuidade ao processo de rede. RECOMENDAÇÃO: Que a Secretaria Geral agilize o cumprimento da decisão da última Confelíder de criar umDepartamento de Diaconia Social.
  • 2006: Mudança do Serviço Nacional de Apoio às Instituições Educacionais e Sociais para Comissão Nacional de Diaconia.
  • 2007: Consulta Nacional de Diaconia Social IEAB/ERD em Brasília: sistematização das experiências de cada diocese e então distritos e discussão preliminar sobre a criação de um Serviço de Diaconialigado à Secretaria Geral e com uma proposta de plano de trabalho nas áreas de capacitação, monitoramento, publicações e assessorias.
  • 2008: Criado o SADD, subordinado à Secretaria Geral e formado pelos Contatos Diocesanos indicados pelos Bispos, uma coordenadora e acompanhado pela Comissão Nacional de Diaconia.

Neste processo, a criação da Comissão Nacional de Diaconia (CND), como uma comissão sinodal formada por clérigas e leigas de distintas dioceses, tem a missão de refletir, produzir e estabelecer as linhas de ação em relação à diaconia da IEAB, em conjunto com os seus órgãos de decisão e demais comissões nacionais. A CND acompanha e contribui na articulação do trabalho do SADD que é quem operacionaliza a diaconia. Ajuda no seu diálogo com os parceiros internacionais em momentos importantes. Tem proposto temas (metas do milênio, políticas públicas, cartilha sobre violência de gênero) e assessorado metodologicamente eventos, a pedido da direção da IEAB, como foi a Confelider 2010. Participa em atividades dos parceiros para compartilhar experiência da CND, por exemplo o Webinar da Aliança Anglicana e o Encontro dos Lusófonos, ambos em 2015.

Neste momento, a CND tem priorizado o apoio ao processo de pensar o futuro do SADD, via contatos com a assessora específica, o desenho de um processo amplo de consultas com várias atividades com diferentes instâncias da IEAB.

Em abril de 2015, na reunião da Câmara dos Bispos em Sâo Paulo, vimos que os principais desafios para o aprofundamento da nossa diaconia como anglicanos e anglicanas no Brasil são:

  • Conjuntura brasileira (social, política, economica, ecumênica) e seus impactos para uma diaconia plena. Denúncias de corrupção e criminaçização das organizações não governamentais dificultam acessos à fundos públicos para projetos sociais.
  • Crescente exigências de resultados, impactos, evidências e relação dos projetos, de acordo com as diferentes prioridades dos parceiros internacionais.
  • Reflexão Bíblico-Teológica atualizada sobre Diaconia/Marcas da Missão.
  • Um maior compromisso coletivo das várias instâncias sobre a decisão do último Sínodo para os trabalhos com a Juventude e a diversidade sexual.

Nesse sentido juntamos forças com a IEAB na construção de um projeto de Diaconia a serviço de todas as pessoas!

Mara Manzoni Luz,

DASP, Coordenadora da CND, Julho 2015

40 anos da DAR

40 anos da DAR

Recife, 16 de julho de 2015.

Ao Povo e Clero da Diocese Anglicana do Recife – Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB)

 

CHAMADO AO TESTEMUNHO AMOROSO DA PRESENÇA DE DEUS NO MUNDO

“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” (João 8:32).

A Diocese Anglicana do Recife, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Província da Comunhão Anglicana, se reconhece como uma pequena parte da Igreja de Cristo que tem consciência de que não é proprietária de Deus.

Somos uma Igreja ecumênica, membro de todas as instâncias nacionais e internacionais ecumênicas, que reconhecem o mundo como um lugar comum a todas as pessoas e que o respeito à unidade cristã na diversidade é uma ação de promoção de cultura de paz.

Também nos reconhecemos como uma Igreja aberta ao diálogo inter-religioso, por reconhecer a diversidade religiosa e acreditar que somente em diálogo poderemos construir um mundo melhor.

Acreditamos que Deus é amor (I João 4:8b). De modo que onde há amor, Deus se faz presente.

Somos uma Igreja inclusiva, que assume que as diversidades fazem parte da riqueza da humanidade e que os seres humanos, em suas diversidades, igualmente foram criados à imagem e semelhança de Deus. Portanto, respeitar o ser humano é respeitar a Deus.

Como parte da Comunhão Anglicana, temos algumas marcas para nossa ação missionária que orientam nosso testemunho de fé:

  1. Proclamar as boas novas do reinado de Deus;
  2. Ensinar, batizar e nutrir os novos crentes;
  3. Responder às necessidades humanas com amor;
  4. Procurar a transformação das estruturas injustas da sociedade, desafiar toda espécie de violência, e buscar a paz e a reconciliação;
  5. Lutar para salvaguardar a integridade da Criação, sustentar e renovar a vida da terra.

 

Em Recife, somos parte do Diálogo – Fórum da Diversidade Religiosa em Pernambuco, e também do CONIC Pernambuco – regional do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, e orientamos os membros da nossa Diocese que sejam testemunho amoroso da presença de Deus no mundo.

Diante do que aqui testemunhamos, registramos veementemente que não comungamos com ações de intolerância e desrespeito de qualquer tipo e espécie, e, particularmente, com a violação do direito de liberdade de culto dos Povos de Terreiros. Direito esse que nos é comum.

Reafirmamos que como parte da Igreja de Cristo, só podemos nos dizer seus discípulos e discípulas se promovermos ações de vida.

Mantenhamo-nos firmes na fé em Jesus Cristo.Do vosso irmão e Bispo Diocesano,

Dom João Câncio Peixoto Filho.

Bispo da Amazônia visita Catedral da Santíssima Trindade

Catedral

No último Domingo, 12/07, na Celebração das 10 horas, a Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, em um lindo e abençoado culto, recebeu a visita do Bispo Dom Saulo Barros, Bispo Diocesano da Diocese Anglicana da Amazônia, que nos trouxe a mensagem. O mesmo batizou o seu netinho, João Gabriel, em momento de muita emoção. Às 15:00 horas, tivemos a aula de preparação para confirmação, onde estudamos liturgia anglicana e o novo LOC. Obrigado Senhor, por te servir com alegria, no poder do Espírito Santo. Aleluia !!!

Dom João Cancio Peixoto

Reverendo da Diocese Anglicana do Recife assume a coordenação da ICMA Brasil.

O reverendo Antônio Luís, clérigo daICMA Brasil coordenadores Diocese Anglicana do Recife e capelão marítimo em Suape pela The Mission to Seafarers, foi eleito por aclamação,com indicação da Sailor’s Society, como o novo coordenador da ICMA Brasil, durante Conferência Internacional da ICMA (International Christian Maritime Association) Região Brasil, realizada no Rio de Janeiro entre os dias 06 e 10 de julho. Sob a direção do Revd. Richard E Kilgour MA BD – Secretário geral da ICMA Internacional, e o Pe. Cesare Ciceri – Stella Maris e coordenador da ICMA Brasil, a Conferência definiu as estratégias de ação 2015/2017 e a eleição do novo coordenador para a região (Brasil).

As organizações presentes de capelanias marítimas do Brasil estavam a Stella Maris (Católicos), The Mission to Seafarers (Anglicanos), Sailors’ Society (Convenção Batista),  Seamannsmission (IECLB), Deutsche Seemannsmission (Luteranos). Entre as estratégias de ações destaca-se o fortalecimento das relações ecumênicas no âmbito da Capelania Marítima Brasileira através do Código de Conduta da ICMA Internacional; a regulamentação de Lei Federal para a Capelania Marítima e a eleição do novo coordenador regional da ICMA.

DAR tem novo diácono no Ceará

SAM_1944 

Durante visita pastoral ao Ceará, Dom João Peixoto, Bispo da Diocese Anglicana do Recife (DAR – IEAB), ordenou ao diaconato o Ministro Pastoral Wescley Rony, em cerimônia realizada no sábado, 04 de julho. A celebração aconteceu na Comunidade Anglicana do Santíssimo Nome de Jesus, no município de Russas. Presentes, além de parentes e amigos do novo diácono da DAR, diversas pessoas das Comunidades Anglicana da Paz (Fortaleza CE), Bom Samaritano (Caucaia-CE) e da Paróquia Anglicana das Boas Novas (Caaporã PB). A liturgia foi elaborada e dirigida pelo Reverendo João Bosco de Oliveira Júnior, que também contou com a presença da Reverenda Eliane Cristina.

Wescley Rony é responsável pela Comunidade da Paz em Fortaleza. Praticante da meditação cristã e membro da Comunidade Mundial para meditação cristã, também é Oblato da Ordem Anglicana de São Bento, com o nome religioso de Frei Ambrósio, OSB. Formado em teologia, é Desenvolvedor Web, com concentração em portais de comunicação e sites institucionais. Atualmente trabalha como freelancer em projetos nessa área.

Presença Episcopal no Ceará

Diácono

Ordenação Diaconal do Ministro Pastoral Wescley Rony

Por Dom João Câncio Peixoto Filho

02/07 – Saída do Recife para Fortaleza.

03/07 – Viagem de avião para Juazeiro do Norte. Após a chegada, mais 3 horas de Topic, até a cidade de Aurora CE. Visita à residência do Sr. Lamark Dias e caminhada até o centro comunitário, onde durante algum tempo pude falar sobre a igreja anglicana. Às 16:00, tivemos a celebração, onde fizemos a instalação da Comunidade Anglicana do Santíssimo Coração de Jesus e instituição ao Ministério Pastoral Leigo, do Sr. Lamark Dias. Linda e abençoada cerimônia com aproximadamente 25 pessoas. Após a celebração fizemos visita à 3 residências, para ministrar benção da saúde, as pessoas. Após jantar, saída para cidade do Barro, onde peguei o ônibus para Icó e de lá um novo ônibus para Russas, chegando às 3:00 horas da madrugada.

04/07 – Após descanso, reunião com a liderança da Igreja Anglicana no Ceará, onde pudemos conversar sobre a atual situação e futuro da igreja na região. Um delicioso almoço na Ilhota e mais um descanso, à tarde. A noite uma bela celebração de ordenação Diaconal do Rev. Wescley Rony. Uma liturgia muito bem elaborada e dirigida pelo Rev. João Bosco. Estavam presentes pessoas da Comunidade Anglicana do Santíssimo Nome de Jesus (Russas CE), da Comunidade Anglicana da Paz (Fortaleza CE), da Comunidade Anglicana do Bom Samaritano (Caucaia CE) e da Paróquia Anglicana das Boas Novas (Caaporã PB). A Revda. Eliane e um grupo de jovens de Caaporã estiveram presentes, abrilhantando a cerimonia e apoiando o novo clérigo. Ver o templo coberto foi algo emocionante para mim, que participei ativamente para que esse sonho se tornasse realidade.

05/07 – Viagem de 3 horas até Fortaleza, chegando às 14:00 horas. Deslocamento até a Cidade de Caucaia, onde às 15:30, em uma linda e abençoada celebração, foram confirmadas 2 pessoas e a Sra. Francisca Julião, foi instituída ministra pastoral leiga. Eram cerca de 30 pessoas e estavam presentes as pessoas da Comunidade Anglicana do Bom Samaritano, o Rev. Wescley e alguns convidados.  As 19:00 horas, retorno para Recife.
Que Deus continue abençoando a missão de nossa igreja no estado do Ceará.

Paróquia Bom Pastor comemora sete confirmações

Confirmação na Paróquia do Bom Pastor

Em sentido horário: Adriano, Girlan, Bispo Peixoto, Lucas, Jorge, Jacelino, Thuane e João. Foto: Gleyka Almeida

Por Oswaldo Júnior

Adriano Portela, Girlan Feitosa Santos, Jacelino Batista da Silva, João Wyclif Daebs Seixas Almeida, José Jorge Martins Machado, Lucas dos Santos Malandra e Thuane Lima Daebs de Souza são os novos membros da Paróquia Anglicana do Bom Pastor, da Diocese Anglicana do Recife (DAR) em Salvador, na Bahia. O rito de confirmação aconteceu durante a missa matinal do domingo 14 de junho, e contou com a presença do Bispo Diocesano João Câncio Peixoto Filho. “Decidi me confirmar por entender que é preciso assumir publicamente que sou membro da igreja”, declarou o Assistente Social Jacelino Silva. Para participar do Sacramento, todos os confirmandos fizeram um curso introdutório sobre a doutrina anglicana.

No término da celebração, o Bispo comentou sobre a recepção dos novos paroquianos. “É uma grande alegria tê-los conosco como pessoas confirmadas e espero que elas continuem firmes, perseverantes no testemunho do evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, que Deus as abençoe”, disse.

Além de recepcionar os novos irmãos, Dom Peixoto esteve em Salvador (BA) cumprindo uma agenda. Na sexta-feira (12/6) ele participou da eleição para compor a nova diretoria da Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE). Após a apuração, o resultado indicou que o Reverendo vai ocupar o cargo de Segundo Tesoureiro da entidade. Na tarde de sábado (13), ele visitou a Paróquia de Cristo O Salvador, que fica localizada em Itaparica, município da região metropolitana.

Mensagem do Bispo Primaz pelos 125 anos da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres. Salmos 126:3

Grandes feitos começam com atitudes de ousadia. Há 125 anos os missionários Kinsolving e Morris corajosamente iniciaram os trabalhos de construção de uma comunidade episcopal no Brasil enfrentando todas as dificuldades possíveis, em um emblemático período de transição política, mas profundamente motivados pelo amor ao Evangelho e pelo serviço ao mundo.

Logo se seguiram outros homens e mulheres que abraçaram a causa com o mesmo sentimento, espalhando a semente por outros pagos do Rio Grande do Sul, construindo comunidades que foram conquistando as pessoas a se formarem em comunidades missionárias. As sementes brotaram e transpuseram as fronteiras do estado do Rio Grande do Sul e alcançaram outros rincões, estando hoje espalhada por todas as regiões brasileiras. De Belém à Jaguarão e de Recife a Porto Velho temos hoje comunidades pequenas em formação e comunidades centenárias vivendo a fé com o jeito anglicano de crer.

Não somos apenas comunidades que nos reunimos para adorar. A beleza de nossa Liturgia com certeza é uma marca distintiva de nossa Igreja. Mas somos mais que uma comunidade de adoração: somos uma comunidade que serve o nosso povo brasileiro. Em todos estes anos, sempre tivemos uma palavra que falou à sociedade brasileira. E temos agido na direção do bem comum, através da incidência pública, da educação, da assistência às pessoas excluídas, traduzindo em gestos o mandato do Evangelho.

Nos sentimos felizes em sermos reconhecidos como membros da Comunhão Anglicana, como companheiros em diálogo ecumênico com outras famílias cristãs e como parceiros das causas da justiça junto aos movimentos sociais em nosso país e outros parceiros internacionais. Somos respeitados dentro e fora de nosso país. Certamente não somos uma Igreja de grandes contingentes, mas somos uma Igreja de relevantes testemunhas da fé.

Desde nossas gerações primeiras, fomos educados na fé a cumprir a tarefa a nós confiada desde os santos e santas seguidoras de Jesus. Isso não ocorre de forma retilínea, mas em meio a franco e livre debate e convivência de idéias diferentes. Mas depositamos sempre nossos dissensos e nossas diferenças sobre a mesa eucarística para que o Cristo nos capacite a viver na busca do discernimento da vontade divina. Leia mais