Mães da redenção

Fonte: CEBI

Qual é a diferença entre Proba, a Poetisa, e Proba, a Viúva? Será que Santa Helena realmente encontrou a Verdadeira Cruz? Qual foi a oração de Santa Mônica por Agostinho? Essas e outras questões são abordadas em um novo e fascinante livro chamado Mothers of the Church [Mães da Igreja] (Ed. Our Sunday Visitor), de Mike Aquilina e Christopher Bailey. Todos nós já ouvimos falar dos Padres da Igreja, e agora vamos ouvir falar das Mães da Igreja.

Embora o catolicismo seja acusado nestes dias de discriminação contra as mulheres por não ordená-las sacerdotisas e por fazê-las pagar por sua própria contracepção (o controverso mandato do Departamento de Saúde e Serviço Social dos EUA – HHS), o fato é que a Igreja praticamente inventou a ideia de igualdade entre os sexos com o famoso dito de São Paulo de que em Cristo “não há homem nem mulher” (Gálatas 3, 28).

Romanos do primeiro século zombavam dos cristãos por falarem e ouvirem as fracas mulheres, mas a visão cristã do mundo prevaleceu. Para conhecer a história interna desse instigante livro, o sítio Fathers for Good contatou o autor Mike Aquilina.

Eis a entrevista. Continue lendo “Mães da redenção”

Evangélicas questionam patriarcalismo das igrejas

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

San José – (ALC) – Mulheres participantes do 5. Congresso Latino-Americano de Evangelização (CLADE V), reunido em San José de 10 a 13 de julho, lamentaram a cumplicidade de igrejas em justificar e promover a ordem patriarcal que engendra a exclusão e a violência, marginaliza a missão e a produção teológica produzida por mulheres.

Assim agindo, as igrejas sustentam uma linguagem que mancha a imagem de Deus. Por isso, elas pedem a conformação de comunidades de iguais, onde a equidade, a justiça, a celebração, a liberdade e a co-responsabilidade floresçam, transformando a vida de excluídas e oprimidas.

A vida das igrejas evangélicas e o trabalho teológico nos países andinos – Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela – foi tema de análise do CLADE V. São países marcados pela religiosidade popular de raiz espanhola desenvolvida no seio do catolicismo, mas vinculada também à religiosidade indígena de incas, chibchas, aymaras e outras etnias, ao qual somou-se, mais tarde, a contribuição africana, que veio com a escravatura. Continue lendo “Evangélicas questionam patriarcalismo das igrejas”

Dom Eugenio Salles: ótima relação com os jornais antes da morte e depois dela

Publicado na coluna da Jornalista Hildegard Angel, no Portal R7

Reproduzimos no site da DAR o depoimento da jornalista Hildegard Angel sobre o Arcebispo Emérito do Rio de Janeiro, Cardeal Eugênio Sales, falecido recentemente, pelo direito à informação e a verdade. O presente depoimento vai na contramão de tudo quanto foi publicado na imprensa nos últimos em relação a vida e trajetória do ex-Cardeal do Rio de Janeiro. Trata-se de informações que foram negada pelos grandes órgãos de informações do país. Publicamos o depoimento por respeito ao direito de pessoas dizerem o que sente, sem necessariamente falar a “verdade oficial” da imprensa.

Muito impressionantes os obituários publicados hoje sobre dom Eugenio Salles. Li, reli e fui conferir de novo o nome do retratado, pois achei que devia haver algum equívoco. Pensei que se tratasse de algum obituário tardio do saudoso dom Helder Câmara, este sim um santinho, que deixou suas pegadas missionárias, como exemplo de caridade cristã. Ele pregava uma igreja voltada para os pobres, era um exemplo de desprendimento, humildade, absoluta ausência de qualquer tipo de vaidade ou arrogância, um sacerdote de “pés descalços”, totalmente solidário aos jovens perseguidos pela ditadura e, por isso mesmo, ele próprio um perseguido e removido, devido às políticas do clero, do Rio de Janeiro, então centro dos acontecimentos nacionais, para Olinda… Continue lendo “Dom Eugenio Salles: ótima relação com os jornais antes da morte e depois dela”

A pergunta que mudou a trajetória de José Míguez Bonino

Roberto Zwetsch
Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

“Onde está o centro de tua vida?” – perguntou-se em oração o estudante de Medicina que, ao responder-se, deixou para trás os livros de anatomia para enveredar-se pela teologia. As igrejas cristãs e a teologia latino-americana acabam de se despedir de um de seus teólogos mais influentes, coerente e sábio. No dia 30 de junho faleceu, na cidade de Buenos Aires, o teólogo, pastor, professor, pai, irmão de fé e de luta José Míguez Bonino. Tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, ouvi-lo em algumas oportunidades e, mais recentemente, escrever sobre sua teologia da missão, uma das veias de sua longa trajetória teológica e de fé que estava latente na sua obra e que pude resgatar e apresentar a ele com muita alegria. José Míguez ainda pôde conhecer o que escrevi e aprovar, mesmo enfrentando dias difíceis após a enfermidade que o acometeu nos últimos anos.

Com um misto de tristeza e saudade, de reconhecimento e gratidão, gostaria de compartilhar algo do que aprendi com este estudioso das Escrituras, da vida e da realidade latino-americana. Creio que a obra teológica de José Míguez Bonino ainda será revisitada por muito tempo em nossa Pátria Grande, por sua pertinácia, argúcia e senso de realidade da parte de quem conheceu em profundidade a vida e a história das igrejas da América Latina, tanto no que diz respeito às igrejas evangélicas quanto à Igreja Católica Romana. Ele foi um dos poucos evangélicos que participou das reuniões do Concílio Vaticano II (1962-1965), tornando-se testemunha ocular da importância daquele concílio ecumênico para o mundo católico romano, mas também para todo o mundo cristão na primeira parte dos anos de 1960. Continue lendo “A pergunta que mudou a trajetória de José Míguez Bonino”

Nasce no Ceará associação de combate ao preconceito religioso

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

Sentindo-se perseguido depois que foi desligado da associação religiosa das Testemunhas de Jeová, o servidor público da Universidade Federal do Ceará, Sebastião Ramos, decidiu criar a Associação Brasileira de Apoio a Vítimas de Preconceito Religioso (Abravipre).

A entidade foi reconhecida juridicamente no dia 13 de junho. Ela tem por objetivo acolher vítimas de discriminação religiosa e promover a laicidade efetiva do Estado. A associação promete apoio jurídico e psicológico a qualquer vítima de preconceito religioso praticado por pessoas ou instituições.

Sebastião lamentou o ostracismo e a discriminação que foi vítima depois de sair da congregação das Testemunhas de Jeová. Passou a ser ignorado, contou, por pessoas que eram companheiras na fé e até mesmo pelos familiares que continuam acompanhando esse credo. Continue lendo “Nasce no Ceará associação de combate ao preconceito religioso”

Ditadura econômica massacra povos da Amazonia, denunciam bispos

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) tem presença na região amazônica através da Diocese Anglicana da Amazônia – DAM. O texto abaixo, publicado pela Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), reflete também a preocupação dos anglicanos sobre o que vem se passando naquela região.

A Amazônia continua sendo tratada como uma espécie de quintal do capital protegido e estimulado pelo governo. Se há 40 anos era marcante a ditadura militar, “hoje vivemos num ditadura econômica”. A análise é do secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich, que participou, de 2 a 6 de julho, em Santarém, do 10. Encontro da Igreja na Amazônia. O encontro analisou o Documento de Santarém, emitido pelos bispos há 40 anos e
avaliou a caminhada da Igreja nesse período na região. Continue lendo “Ditadura econômica massacra povos da Amazonia, denunciam bispos”