Condições de moradia são muito desiguais no país

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

As condições de moradia adequada coloca o Brasil no quarto lugar em desigualdade social na América Latina. O dado é indicado no relatório do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), divulgado na quinta-feira, 23. Essa avaliação coloca o Brasil atrás apenas da Guatemala, Honduras e Colômbia.

O relatório “Estado das Cidades da América Latina e do Caribe 2012 – Rumo a uma nova transição urbana” mostra que a América Latina ainda tem 111 milhões de pessoas, cerca de 1/4 de sua população, vivendo em moradias insalubres. O documento assinala,no entanto, que melhorou a distribuição de renda no Brasil nos últimos anos, já que nos 1990 ele encabeçava a lista dos piores índices.

Neste momento, o país da região com menor índice de desigualdade na América Latina e Caribe é a Venezuela. “Para as Nações Unidas, o principal desafio é desenvolver estratégias para combater a desigualdade. Isso é o mais importante. Sabemos que as cidades latino-americanas têm riqueza suficiente para reduzir essa situação”, disse Erik Vittrup, representante do ONU-Habitat.

Nas duas últimas décadas (1990-2010), o número de habitantes de assentamentos precários aumentou em 5 milhões. O percentual de moradores nessas condições de deficiências estruturais (28%) no Brasil, que ainda sofre a falta de saneamento e água potável, é um pouco maior do que a média latino-americana, de 25%. Vittrup sugere aos governos que “as favelas deveriam ser um foco prioritário”. Continue lendo “Condições de moradia são muito desiguais no país”

STF manda soltar mandante do assassinato da Irmã Dorothy

Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

O Supremo Tribunal Federal (STF) mandou soltar Reginaldo Pereira Galvão, condenado a 30 anos de prisão por ser o mandante do assassinado da irmã Dorothy, freira norte-americana que atuava na região de Anapu (PA), a 766 km de Belém, morta em fevereiro de 2005. A decisão foi tomada liminarmente pelo ministro Marco Aurélio Mello, no dia 20, em resposta a um pedido de habeas corpus.

O advogado do réu, Jânio Siqueira, disse que Galvão estava “abatido” e foi para sua casa na cidade de Altamira (PA). Ele foi condenado em maio de 2010, pena que deveria ser cumprida em regime fechado. Ao mesmo tempo, tramita na Justiça recurso da defesa, pedindo a anulação da condenação.

O ministro Marco Aurélio Mello emitiu sentença liminar afirmando que Galvão só poderia ser preso quando não couber mais recursos, enquanto o processo contra ele transitar em julgado. O ministro argumentou nos autos de que não há provas que ele, em liberdade, ofereça risco ao andamento do processo. Mesmo considerando que o pedido por liberdade tenha sido rejeitado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Continue lendo “STF manda soltar mandante do assassinato da Irmã Dorothy”

Revdo. Gecionny ministra palestra sobre redes sociais em Natal – RN

Rev. Gecionny no Salesiano
Rev. Gecionny no Salesiano
“Como educar seu (sua) filho (a) para o uso consciente da internet e redes sociais?” foi o tema trabalhado pelo Serviço de Orientação Educacional (SOE) e Setor de Psicologia do Salesiano Dom Bosco com os pais e responsáveis dos educandos, na noite da quinta-feira (26), em mais uma edição do projeto “Escola, espaço para pais”.

Antes desse momento com os pais, o Colégio promoveu uma palestra sobre o uso consciente das redes sociais, ministrada pelo advogado José Avelino, para os alunos do Ensino Médio, na manhã da quarta-feira (25).

A mesa dessa edição da “Escola, espaço para pais” foi formada pelo Rev. Pe. Gecionny Pinto, que falou sobre a internet e sua linguagem, os vários tipos de redes sociais e suas características; e pela Coordenadora de Comunicação do Salesiano Dom Bosco, Carla Sousa, que falou sobre a participação do Colégio nas redes e sobre a importância da interação com os alunos, também, nesses novos pátios.

O projeto “Escola, espaço para pais” tem como objetivo ampliar a interação escola-família, buscando refletir sobre o lugar da família e da escola na construção do desenvolvimento da criança e do adolescente. A cada encontro, os pais participam de um debate sobre um tema ligado às necessidades que vão surgindo junto aos educandos.

http://www.salesianonatal.com.br/dombosco/noticias/9/668

DAR poderá contar com nova comunidade em Natal-RN

Celebração Eucarística em Natal
Celebração Eucarística em Natal

Atendendo convite de um grupo de membros da Catedral da Santíssima Trindade que atualmente residem em Natal – RN, o Reverendo Deão Sergio Andrade e a reverenda Giselle Gomes, estiveram na cidade, no bairro de Lagoa Nova, para uma Celebração Eucarística. Contando com a presença de 4 casais do Recife, o culto foi realizado na residência do casal Marcos e Hilana Glasner, com a participação de 35 pessoas, incluindo 5 crianças. A próxima celebração acontecerá no dia 22 de setembro. Continue lendo “DAR poderá contar com nova comunidade em Natal-RN”

Encontro Vocacional Anglicano

Encontro Vocacional
Encontro Vocacional

Por Revdo. Gecionny Pinto

Ocorreu nos últimos dias 18 e 19 de agosto (mês vocacional nas igrejas de tradição católica) o I Encontro Vocacional Anglicano com a participação de vocacionados da Paraíba (Caaporã), Rio Grande do Norte (Natal) e Ceará (Caucaia) e com a presença do Reitor do Seminário Anglicano do Recife, Revmo. João Peixoto, que representou o Bispo Diocesano no encontro.

O evento começou com a Santa Eucaristia segundo o Livro de Oração Comum da Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica, com a leitura da carta enviada por Dom Sebastião Gameleira aprovando a iniciativa e enviando sua bênção apostólica.

Depois das apresentações dos participantes, tivemos uma série de depoimentos sobre a vivência das diversas vocações eclesiais, começando com o Ministério Leigo (Pastoral) abordado pelo MP. Williams Portela, seguido pela vocação do seminarista abordada pelo seminarista Fernando Taveira, pela vocação diaconal e franciscana apresentada pelo Rev. Diác. Antônio Terto e concluída pela vocação sacerdotal apresentada pelo Rev.Pe.Gecionny Pinto. Os jovens de Caaporã falaram da experiência da pastoral da juventude, da Escola Bíblica Dominical, do ministério de intercessão, visita aos enfermos, e a Revda. Diác. Eliane falou da vocação social da sua comunidade e seu engajamento nas questões ambientais e do enfrentamento da violência contra a mulher.

No período da tarde, o Rev.Gecionny apresentou as propostas do Pacto de Caaporã, que foram discutidas pelo grupo e serão divulgadas para toda a diocese após as modificações sugeridas e a assinatura pelos participantes do encontro.

No sábado à noite celebramos uma oração vespertina e partilha de nossas vocações a partir de símbolos colocados no círculo pelos presentes, esse momento foi dirigido pela Revda. Eliane e pelo Redvo. Terto.

No domingo pela manhã fomos todos para a Paróquia Anglicana Boas Novas aonde com muito louvor celebramos a Santa Eucaristia de encerramento que teve a pregação do Seminarista Fernando Taveira e o Louvor do seminarista Jailson Rodrigues. Ficou decidido que o próximo encontro vocacional será em agosto de 2013 em Natal e o de 2014 no Ceará ou em Pernambuco, o que será definido no encontro de 2013. Continue lendo “Encontro Vocacional Anglicano”

Cristãos diminuem a cada ano no norte da Cisjordânia

Por Manuel Quintero
Fonte: Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

Os cristãos palestinos são descendentes daqueles que estiveram com Jesus e formaram as primeiras comunidades de judeus e gentis, somando-se depois a elas os cananeus e os sírio-fenícios. Após o Concílio Ecumênico de Calcedônia (451) os cristãos palestinos foram conhecidos como melquitas, isto é, “imperiais”, por seguirem a fé do imperador de Bizâncio.

No início do século passado, cristãos de diferentes famílias confessionais — antigas igrejas orientais, ortodoxas, católicas de rito oriental e ocidental, anglicanos e protestantes — representavam 20% da população na Palestina.

Embora os dados não tenham respaldo em censos recentes, hoje eles constituem apenas 4% da população palestina. Há provavelmente mais cristãos palestinos no Chile do que na Cisjordânia ocupada. Muitos chilenos de ascendência palestina remontam suas origens a quatro povos majoritariamente cristãos: Belém, Beit Jala, Beit Sahour e Beit Safafa. Continue lendo “Cristãos diminuem a cada ano no norte da Cisjordânia”

O BRASIL NO ENCERRAMENTO DOS JOGOS OLÍMPICOS

Eduardo Hoornaert

Gostaria de tecer algumas considerações acerca do modo como o Brasil se apresentou no final dos jogos olímpicos em Londres domingo passado, 12 de agosto. Fiquei triste quando o apresentador disse as seguintes palavras (cito de memória): ‘quando os portugueses chegaram aqui, viviam no país cinco milhões de índios’. Teria sido melhor se ele tivesse dito ‘cinco milhões de habitantes’. Esse termo ‘índio’ soa mal nos dias de hoje e penso que para a maioria dos que o ouviram em Londres evoca imagens do Farwest, com John Wayne etc. Penso que não se trata de um lapso casual, mas de uma constante na maneira como os brasileiros contemplam a sua própria história. Quando os portugueses chegaram, viviam aqui pessoas de mais de três mil povos diferentes, tão diferentes que suas falas pertenciam a três famílias linguísticas (o tupi-guarani, gê e karib), algo impressionante quando pensamos que todas as línguas atualmente faladas na Europa provêm de uma só família linguística (o indo-europeu). Como escrevi, parece apenas um lapso do apresentador, mas não é bem assim. Sabemos que nos livros de história usados nas escolas se encontram palavras como ‘índio’, ‘descobrimento’, ‘capitanias hereditárias’, ‘invasões holandesas (ou francesas)’, etc. etc. Onde fica o historiador cearense Capistrano de Abreu, que no século XIX já escreveu que era urgente substituir esse vocabulário por um conhecimento mais preciso e aprofundado do país? Aparentemente não se lê Capistrano no ministério da educação, pois na atual greve dos professores, os interlocutores do governo só falam em questões de salários. Ora, o ministério da educação é o local onde se repensa o Brasil, a começar pela eliminação de termos como os acima citados. Pelo menos, tem de ser assim. Eis um ponto em que a educação parece que não avançou desde os tempos de Capistrano, pois até hoje a escola ensina às crianças a repetir palavras como: índio, descobrimento, invasão, capitania etc., além de estereótipos como malandragem, sincretismo, carnaval e futebol. Continue lendo “O BRASIL NO ENCERRAMENTO DOS JOGOS OLÍMPICOS”