Comunicado dos bispos Anglicanos e Vétero-Católicos da Europa

Irmãos e Irmãs em Cristo,

Na Assembleia Geral da Conferência das Igrejas Europeias (CEC/KEK), que decorreu de 3 a 8 de Julho, foi tomada uma decisão significativa para as nossas igrejas membros Anglicanas e Velho-Católicas. Esta decisão não teve muita publicidade, mas tem, no entanto, muita importância para a nossa identidade dentro do cenário cristão europeu. Foi o reconhecimento formal de que Anglicanos e Velho-Católicos podem ser tratados como uma só família dentro do movimento ecuménico que a CEC/KEK representa.

Este reconhecimento deve-se largamente ao trabalho de um membro da Igreja Católica Suíça de Cristo (Swiss Christ Catholic Church), a Diácona Ulrike Henkenmeier. Ela apresentou a proposta e convenceu a Assembleia de que se a CEC/KEK desejava que as Igrejas se agrupassem em famílias, fazia sentido eclesiológico nós, Anglicanos e Velho-Católicos, estarmos na mesma família. As nossas Igrejas são Igrejas Católicas. Partilhamos uma identidade como Igrejas Católicas sinodais e reformadas. Somos reformadas no sentido e que nos restaurámos, no caso Anglicano através de uma reforma, e no caso Velho-Católico através da resistência à autoridade centralizada da Igreja na Cúria Romana, o que consideramos ser a expressão autêntica da Igreja Una Santa Católica e Apostólica de Jesus Cristo. Graças à Diácona Ulrike a sua moção na CEC/KEK providenciou um momento educativo para muitos membros de outras Igrejas que não estavam cientes do relacionamento de comunhão que entre nós existe ou da nossa auto-compreensão como Igrejas Católicas. Continue lendo “Comunicado dos bispos Anglicanos e Vétero-Católicos da Europa”