Agenda

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos em Recife, é organizada durante todos o mês de Maio. No dia 23, o encontro aconteceu na Paróquia Nossa Senhora de Fátima San Martin. E esteve representando a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, o Sr. Galileu Lins membro da Catedral Anglicana do Bom Samaritano.

TERÇA-FEIRA, 23 de MAIO DE 2017, TIVEMOS UM MOMENTO DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS.
FOI COM ALEGRIA QUE RECEBEMOS OS IRMÃOS MEMBROS E REPRESENTANTES DO CONSELHO DE IGREJAS CRISTÃS EM NOSSA CASA (PARÓQUIA), TRANSFORMANDO É UM MOMENTO SIGNIFICATIVO DA VIDA DA NOSSA COMUNIDADE.
Pe. Laércio Lima, Sdb, Paróco.

A celebração teve início com algumas palavras de acolhimento ditas por Pe. Laércio aos convidados e ao público presente. Emocionado, o nosso pároco agradeceu pela noite.

Tivemos também um momento aonde um vídeo, mostrando a caminhada da CONIC, foi exibido aos presentes. Nele constava momentos históricos envolvendo encontros das lideranças cristã para promover a paz. Vimos também os povos unidos por mundo mais firme na palavra e exemplo de Deus.

Após à acolhida da Palavra – com o canto “Indo e Vindo, Trevas e Luz – o Diácono Carlos proclamou o Evangelho do Dia. Logo após, o Abuna Elias (Aldo Mota) comentou sobre a importância da união entre os cristãos, contudo sem perder a própria identidade. Cada Igreja Cristã possui suas características, detalhes, simbologia mas, no seu íntimo, todas estão ligadas ao nosso Cristo.

Estiveram presentes:
Igreja Síria Ortodoxa de Antioquia
Diácono Carlos Beethoven Lisboa Melo

Igreja Episcopal Anglicana
Galileu Lins

Igreja Ortodoxa Malankara
Abuna Elias (Aldo Mota)

Igreja Católica Romana
Pe. Laércio Lima, sdb

Fonte: http://paroquiadefatimarec.com.br/2017/05/25/semana-de-oracao-pela-unidade-crista-liturgia-ecumenica/

CONVOCAÇÃO CONCILIAR

“Portanto, irmãos, sejam pacientes até a vinda do Senhor. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera. Sejam também pacientes e fortaleçam o seu coração, pois a vinda do Senhor está próxima. Irmãos, não se queixem uns dos outros, para que não sejam julgados. O Juiz já está às portas! Irmãos, tenham os profetas que falaram em nome do Senhor como exemplo de paciência diante do sofrimento. Como vocês sabem, nós consideramos felizes aqueles que mostraram perseverança. Vocês ouviram falar sobre a perseverança de Jó e viram o fim que o Senhor lhe proporcionou. O Senhor é cheio de compaixão e misericórdia” (Tiago 5:7-11)

Como prevê o Capítulo I, Cânon 2, Art. 3º do nossos cânones Diocesanos – Cabe ao Bispo(a), ou a seu substituto canônico, convocar, por escrito, a reunião conciliar, com antecedência de pelo menos 30 (trinta) dias. Portanto, venho por meio deste documento, convocar a reunião do XXXII concílio da Diocese Anglicana do Recife, que acontecerá de 15 à 18 de junho de 2017, nas dependências da Catedral Anglicana do Bom Samaritano e no Centro Anglicano de Convivência Cristã, situados à Rua José Maria de Miranda, 560, Boa Viagem, Recife PE.

Segundo os cânones, todos(as) os(as) clérigos(as) deverão participar do concílio, juntamente com os delegados leigos de cada paróquia (2), missão (1) e ponto missionário (1).

OBS: Segue em anexos as fichas de inscrição, que devendo ser preenchidas pelos(as) clérigos(as), delegados(as) leigos(as) e suplentes leigos(as).

Recife/PE, 09 de Maio de 2017 AD.

Bispo Dom João Cancio Peixoto Filho

Ordenação Presbiteral do Revdo. Eduardo Henrique

Dom João Câncio Peixoto Filho, Bispo da Diocese Anglicana do Recife, presidiu no último sábado, 06 de maio de 2017, na Catedral Anglicana do Bom Samaritano, em Boa Viagem (Recife, Pernambuco), a ordenação presbiteral do Revdo. Eduardo Henrique Alves da Silva.

A Solene Celebração Eucarística de Ordenação Presbiteral, que contou com a presença de clérigos e leigos de nossa igreja, de diversas comunidades e paróquias, assim como de amigos e familiares; foi marcada pelo forte entusiasmo. Desde a reintegração de posse do imóvel (templo) por nossa diocese, no ano passado, foi a primeira vez que uma ordenação foi realizada em nossa Catedral.

No sermão proferido pelo Revmo Bispo Diocesano Dom João Câncio Peixoto Filho foi destacado o papel do ‘bom pastor’, a partir do texto do evangelho de João, e a importância do presbítero na edificação da igreja e na construção do Reino de Deus. Foi ressaltada a certeza de que Deus capacita os seus para a tarefa de ‘apascentar suas ovelhas’, pois a Obra é de Deus.

A Ordenação Presbiteral contou com a participação da Revda. Rosemary Cunha, que foi mestra de cerimônia; do Sr. Jairy Vieira Silva, em processo de reconhecimento de Ordens, como Capelão do Bispo; da Revda. Lilian Silva, como Litanista; assim como do Revdo. Cláudio Linhares, da Revda. Lilian Linhares, da Revda. Eliane Cristina, do Revmo. Deão Gustavo Gilson; e dos reverendos Francisco Sales e Edson Pimentel.

 

Revdo. Eduardo Henrique, o novo presbítero da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil,está na Secretaria de Educação da Diocese Anglicana do Recife. Atualmente compõe a equipe pastoral da Paróquia Emanuel – Comunidade Jesus de Nazaré (Olinda) e está como coadjutor da Paróquia Anglicana do Semeador (Olinda). É casado com Carla Viviane Andrade de Souza. É poeta e calígrafo. Desde 2001 desenvolve um trabalho a partir do imaginário medieval, que denominou ‘neo-iluminuras’.  Recentemente teve parte de seus trabalhos divulgados no site da ‘Mission Theology in the Anglican Communion’.

Conferência sobre Teologia Anglicana e Engajamento Público

A conferência “Mission Theology Anglican Conference – Anglican Theology and Public Engagement”, promovido pelo setor de Teologia da Missão da Comunhão Anglicana, aconteceu na Catedral Anglicana do Bom Samaritano, na Diocese Anglicana do Recife (IEAB), entre os dias 24 a 27 de abril de 2017. A conferência que teve como coordenador o Prof. Joanildo Burity e a presença do Bispo Graham Kings, responsável pelo setor de Teologia da Missão na Comunhão Anglicana, apresentou cinco ‘papers’ (artigos) produzidos por teólogos de nossa Diocese (Revmo. Deão Gustavo Gilson, Revda. Lilian Silva, Prof. Dr. Joanildo Burity) e de nossa província (Revda. Inamar de Souza e Prof. Dr. Paulo Ueti) sobre Teologia Anglicana e Engajamento Público.

Para a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, e em particular para a Diocese Anglicana do Recife por sediar a conferência, foi uma alegria e honrar poder contribuir para a reflexão teológica da Comunhão Anglicana. Honra e alegria em poder ter a convivência e supervisão nos trabalhos do Bispo Graham Kings, que com sua cordialidade e simpatia muito contribuiu para a excelência dos trabalhos.

Abaixo seguem links dos artigos e matéria sobre o evento no Anglican Communion News Service:

‘Public Engagement the Theme of a Conference of Brazilian Theologians’, Anglican Communion News Service article on our Mission Theology in the Anglican Communion conference in Recife, Brazil, 24-27 April.

The five papers, revised during the conference, were published here, yesterday, on the final morning: http://www.missiontheologyanglican.org/articles_mta.php

Photo gallery here: http://www.missiontheologyanglican.org/galleries.php?id=46 Art gallery of our resident artist, Eduardo Henrique, here: http://www.missiontheologyanglican.org/galleries.php?id=47 http://www.anglicannews.org/news/2017/04/public-engagement-the-theme-of-a-conference-of-

Anglicanos na Bahia realizam planejamento estratégico

“Queremos ser uma comunidade de fé e auto sustentável”. A frase faz parte de uma das metas apresentadas durante o primeiro encontro do Arcediagado Sul da Diocese Anglicana do Recife (DAR).

A reunião aconteceu na Paróquia Anglicana do Bom Pastor, em Salvador (BA), nos dias 29 e 30 de abril, com a presença da Missão Cristo Rei (Alagoinhas), Ponto Missionário Ressurreição do Senhor (Feira de Santana) e Paróquia Anglicana Cristo O Salvador (Itaparica). Clérigos e leigos tiveram a oportunidade de realizar diversas atividades durante o evento.

A programação da manhã de sábado foi aberta com oração. Em seguida houve palestra sobre Teologia Protestante com o Pastor e Mestre em História, Jorge Nery. Após o almoço, os participantes ouviram o Administrador e Professor universitário, Nilson Teixeira, que deu uma aula sobre Planejamento Estratégico. Depois da exposição todos se dividiram em equipes com o objetivo de articular ações para o presente e planejar o futuro. O encerramento foi com a celebração do 3º Domingo de Páscoa, às 6 da tarde.

No domingo os trabalhos foram iniciados com a oração matutina. Ainda pela manhã, novos grupos foram criados, dessa vez para produzir sugestões de mudanças nos cânones diocesanos.

Como resultado dos debates, as comunidades do Arcediagado Sul (DAR/ IEAB) se comprometeram a ampliar o relacionamento com a sociedade, valorizar o conceito de acessibilidade, aprimorar a captação de recursos financeiros, renovar os letreiros e ativar o livro de visitas.

O fotógrafo Raimundo Anunciação dos Santos Filho (19), que é integrante da Missão Cristo Rei, considerou as dinâmicas proveitosas. “Aprendi diversas coisas e vou levar o que eu aprendi para a minha comunidade. A maioria das comunidades foram participativas, trouxeram e aprenderam coisas que poderão serem aplicadas”, afirmou.

Fotos: Rev. Carlos Araújo, Capinan Junior. 

Texto: Capinan Junior, SRTE 3612 (BA).

Mensagem de Páscoa do Bispo Primaz da IEAB

O cerne da mensagem cristã e a força motora do testemunho do movimento de Jesus é a proclamação do Mistério Pascal. Nele se encerra a proclamação mais solene do poder de Deus sobre a morte: “Ele não está aqui” Mt 28:6

Vivemos tempos de medo. Aqui e ali, se multiplicam as ações de ódio e violência política arquitetadas por grupos radicais religiosos e motivados por políticos que exploram os sentimentos de xenofobia, racismo, e fundamentalismos.

Vivemos tempos de crescimento da exclusão de pessoas vulneráveis, vítimas de políticas que reafirmam a lógica de exploração de um capitalismo que só beneficia os mais ricos. Milhões sofrem de fome, enquanto alguns poucos acumulam riquezas de origem duvidosa em paraísos fiscais. Ou então desviam recursos essenciais para as políticas públicas através de ações criminosas. Ou ainda, usam do expediente da evasão de tributos para aumentar os seus ganhos.

Num cenário com essas contornos sofríveis, parece que ecoa e nosso coração, a fala de Jesus no momento mais doloroso de sua vida: Eloi, Eloi, lama sabactani! Sim, nos sentimos desamparados. Olhamos para um lado e para outro e nos sentimos completamente fragilizados.

No entanto, o mesmo Deus que “ressuscitou dos mortos a Jesus Cristo”, nas palavras do corajoso Pedro diante da multidão em Pentecostes, é o mesmo Deus que nos garante que as coisas que são derrubadas, serão levantadas e que os últimos, na escala do poder, precederão os poderosos no Reinado de Cristo.

Que nesta Semana Santa caminhemos lado a lado com Jesus experimentando as dores da injustiça, diante do poder da opressão religiosa e do poder imperial. Sejamos corajosos contra aquelas pessoas que lançam escárnios contra nós porque se acham vencedores. E quando chegar a hora em que o silêncio parece indicar o fim, exultemos pelo poder da ressurreição. Cristo nos antecede neste momento de vitória! E saberemos que a última palavra de Deus é a uma palavra de vida. E vida abundante!!
Nada resiste à luz da manhã que dissipa as trevas. A luz de Cristo brilha em nós e por isto nos tornamos testemunhas de seu Reinado sobre nós e sobre um mundo de paz e justiça para todos os seres. Só o poder da Ressurreição é que nos dá essa alegria e essa coragem.

Ergo meu espírito aos céus para honrar aos irmãos e irmãs que tem sido vítimas do ódio religioso. Das pessoas que tem sido martirizadas por causa de sua fé. Estendo meus pensamentos e orações para nossos irmãos e irmãs coptas que perderam a sua vida recentemente enquanto adoravam o Senhor, na cidade do Cairo. Que Cristo  os acolha na sua glória.

Que na aurora deste Domingo de Páscoa escutemos o Cristo dizendo a nós: Sou Eu; não temais!

Uma abençoada Páscoa a todo o povo de Deus!

Francisco de Assis da Silva

Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Diocesano em Santa Maria

Carta Aberta sobre a Reforma da Previdência e Reforma Trabalhista

Como Câmara Episcopal da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, manifestamos, por meio desta nossa preocupação através deste posicionamento profético e pastoral diante do Projeto de Reforma da Previdência (PEC 287/2016), Projeto de Reforma Trabalhista, e a recentemente aprovada Lei da Terceirização, questionada pelo Ministério Público no Supremo Tribunal Federal.

A Reforma da Previdência

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) enviou para todas as igrejas membro um estudo feito pela ANIFP (Associação Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil) e pelo DIESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), sob o título “Previdência: reformar para excluir?”. Neste estudo fica amplamente demonstrado que:

  1. A política de “austeridade econômica” que promove “o corte nos gastos públicos, sem poupar as políticas sociais e os investimentos, acompanhado por aumento das taxas de juros e por restrição severa do crédito, contribuiu para (…) uma depressão econômica”, com diminuição de contribuições para a Previdência Social.
  2. Que a ANFIP demonstra que “a Seguridade Social é superavitária mesmo com a crescente subtração das suas receitas pela incidência da Desvinculação das Receitas da União (DRU)(…) com as desonerações tributárias concedidas pela área econômica do governo sobre as suas principais fontes de financiamento”.
  3. Que aposentadoria por idade, 60 anos para a mulher e 65 anos para o homem, já está estabelecida no artigo 201 da Constituição de 1988, é que “atualmente 53% das aposentadorias são por idade, contra 29% por tempo de contribuição e 18% por invalidez”.
  4. Em caso da invalidez, o projeto exige “incapacidade permanente”, com 51% da remuneração mais um porcentual por ano contribuído, o que, além de deixar estas pessoas necessitadas em situação precária não ampara as vítimas de acidentes de trabalho ou a chamadas “doenças profissionais”.
  5. A não consideração de uma série de desigualdades como: entre homens e mulheres (sendo que as mulheres têm maiores dificuldades para encontrar emprego, com menor remuneração e, geralmente, dupla jornada); entre o meio rural e urbano (sendo que o benefício previdenciário tem permitido às pessoas a permanência no meio rural e tem apoiado o desenvolvimento a 88% dos municípios do país, com menos de 50 mil habitantes) e entre expectativa de vida e saúde (considerando as diferenças regionais, e as atividades laborais), entre outras.
  6. O fim da vinculação do piso da aposentadoria ao salário mínimo condenará à miséria a 28,3 milhões de pessoas que recebem benefícios diretos e suas famílias, além de mais 40 milhões de pessoas amparadas pelo seguro desemprego e outros benefícios.

O impacto de uma reforma desta índole para a Previdência Social do Brasil é desumano, cruel e devastador, com conseqüências que levarão para a miséria extrema a milhões de pessoas, e forçarão outros tantos milhões a trabalharem até sua morte, desamparando suas famílias. O Brasil que já destaca pela injusta distribuição da riqueza entre pessoas ricas e pobres verá aumentada esta desigualdade.

Reforma Trabalhista e flexibilização da negociação coletiva e terceirização

O mesmo estudo, antes mencionado, afirma que “liberação da terceirização, inclusive com a possibilidade de ‘terceirização em cadeia’ e intensificação da rotatividade, e a prevalência do negociado sobre o legislado apontam no sentido contrário, de enfraquecimento da remuneração do trabalho e de expansão das formas informais e ilegais de contratação”.

Quando a terceirização é aplicada a educação, saúde e segurança, servirá como caminho de evasão de responsabilidades públicas sobre estes setores, e o progressivo desamparo da população.

Por que nos manifestar

O Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, declara bem-aventuradas, as pessoas que tem “fome e sede de justiça” por que é elas serão fartas! (Mateus 5.9), e a Carta de Tiago nos lembra “Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.” (3.18). Portanto, não podemos nos omitir diante desta tragédia humanitária que estas reformas promovem. Trata-se, pela sua simples proposição em um desrespeito e uma violenta ameaça para este país. Sinal de governantes ilegítimos que, não conseguindo defender esta agenda em um processo democrático com participação popular ampla, o fazem usurpando os poderes que pertencem ao conjunto de cidadãs e cidadãos do Brasil.

Cremos que, pela união das forças de todas as pessoas de boa vontade, este haverá reversão deste quadro. Conclamando assim à mobilização em favor dos direitos das pessoas trabalhadoras, da melhor condições de trabalho e do amparo justo especialmente para mais pobres e vulneráveis de nossa sociedade. Como poderemos ter paz, se promovemos a injustiça, a morte e a exclusão?

Rio de Janeiro, 05 de abril de 2017.

Dom Francisco de Assis da Silva, Bispo Primaz e Diocesano da Sul Ocidental

Dom Naudal Gomes, Bispo da Diocese Anglicana de Curitiba

Dom Filadelfo Oliveira, Bispo da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro

Dom Mauricio Andrade, Bispo da Diocese Anglicana de Brasilia

Dom Saulo Barros, Bispo da Diocese Anglicana da Amazônia

Dom Renato Raatz, Bispo da Diocese Anglicana de Pelotas

Dom Flavio Irala, Bispo da Diocese Anglicana de São Paulo

Dom Humberto Maiztegui, Bispo da Diocese Meridional

Dom João Peixoto, Bispo da Diocese Anglicana do Recife

Dom Eduardo Grillo, Bispo Coadjuntor da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro

Dom Clóvis Rodrigues, Emérito

Dom Almir dos Santos, Emérito

Dom Celso Franco, Emérito

Convite: Ordenação Presbiteral do Revdo. Eduardo Henrique

O Reverendíssimo Dom João Câncio Peixoto Filho, por graça de Deus e eleição do povo, Bispo da Diocese Anglicana do Recife, sede da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil na Região Nordeste, no 4º ano de sua Sagração Episcopal, convida Vossa Senhoria, Exma. Família e Comunidade, para participar da Solene Liturgia Eucarística, quando será ordenado ao Ministério Presbiteral o Revdo. Eduardo Henrique Alves da Silva, A realizar-se na Catedral Anglicana do Bom Samaritano (R. José Maria de Miranda, 560, Boa Viagem, Recife, PE) no dia 06 de maio de 2017 (sábado) às 17:00 h.

Convite-Presbiteral.VF

Templo, Teatro e Mercado: As Igrejas Neopentecostais no Brasil

cartaz-Neopentescostais

No sentido de aprofundar a reflexão sobre a realidade das Igrejas Neopentecostais no Brasil, o Seminário Anglicano de Estudos Teológicos (SAET), da Diocese Anglicana do Recife (DAR), Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), tem a alegria de convidar para um momento de partilha com o tema: “TEMPLO, TEATRO E MERCADO: As Igrejas Neopentecostais no Brasil”, com o Sr. Rafael Vilaça. Ele é mestre em Ciência da Religião pela UNICAP (Universidade Católica de Pernambuco).
Dia: 30 de março de 2017 (quinta-feira)
Hora: 19:00 h
Local: Centro Anglicano de Convivência Cristã (Catedral do Bom Samaritano)
R. José Maria de Miranda, 560, Boa Viagem, Recife, PE. Brasil.

Paróquia Anglicana da Virgem Maria – RN

A paróquia Anglicana da Virgem Maria recebeu no mês Janeiro duas visitas especiais, primeiro do seu fundador, O Rev. Severino Abel (atualmente clérigo da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro) que presidiu a Eucaristia, pregou e ministrou a bênção da saúde aos paroquianos.

Rev.Abel pregando na Paróquia

Depois a Revda. Eliane Cristina (Pároca da Paróquia Boas Novas em Caaporã – PB) que foi a primeira reverenda a presidir a Santa Eucaristia em nossa comunidade depois que o Rev. Gecionny Pinto assumiu como pároco. Na ocasião a pregação foi proferida pelo Ministro Pastoral Williams Portela.

Rev.Eliane presidindo a Missa pregação Williams

A comunidade paroquial alegra-se com a visita destes irmãos(ãs) e louva a Deus com o salmista no salmo 133:1 – “Oh, quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união”.